siga por Email!

sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

Debatendo a capoeira na Escola... ou na educação?


Não pude deixar de me envolver nesse tópico aqui, a questão da capoeira na escola...

Esse tema eu venho trabalhando nele, estudando o assunto, fazendo ou acompanhando alguns projetos, enfim, circulando dentro do tema, desde muitos anos...

O assunto é recorrente, vai e volta, e anda em circulos o tempo todo...!

Sempre que vejo esse debate ele está focado na divisão que existe entre o Mestre/Professor de Capoeira & o professor da educação formal, ou seja os professores de outras disciplinas, já tradicionais nas escolas.

Os debates se dão por conta do que seria privilégio dos Professores detendo condições financeiras melhores que os mestres de capoeira por um lado; ou por outro o fator da capoeira na educação... sim ou não...? Deve o mestre de capoeira fazer parte das disciplinas que são ensinadas na escola? e por que ele precisa de diplomas superiores, se o saber da capoeira fala por si, pois seus aprendizados vão muito além dos cursos superiores universitarios, que duram 4 ou 5 anos quando muito?

Dificil é a gente assumir uma atitude isenta e lógica, encontrar posturas e percepções que sejam validas tanto para a Escola, enquanto uma instituição e para a capoeira, enquanto outra Instituição com regras, ética, critérios, etc., tão densos ou justos e consagrados como aqueles da escola...

Será que podemos, com total legitimidade entrar nesse diálogo?

Tive o privilégio de debater esse assunto diretamente dentro de um curso superior, em nível de pós-graduação, realizado na Universidade de Brasilia, quando recebi o título de Pós-Graduação Latu-Sensu em Educação Física, com Especialização em Capoeira na Escola, exatamente o tema aqui debatido, se não me falha a compreensão.

Grande coisa, muitos de nós poderão me dizer... e terei que aceitar... pois os meus 36 anos envolvidos com a capoeira, me ensinaram muito mais do que os dois anos que entrei nesse curso e dialoguei com professores universitários da área de educação fisica, a maioria deles com mestrado e doutorado academicos.

A questão, camaradas, se me permitem tentar mostrar uma outra visão ainda fora do contexto em que os debatedores aqui se postam, que é a coisa pragmática, o dia-dia desse entendimento, os projetos acontecendo, as diferenças de salários, os critérios, as questões e as posturas obviamente distintas, entre os mestres/professores de capoeira e um silêncio sepulcral do lado oficial da Educação...!!

Cadê uma manifestação do Ministério da Educação sobre isso??

Quem se envolveu com a capoeira até agora, pelo menos no Governo Lula - que foi com absoluta clareza o que mais deu espaço para a capoeira dentro do Governo Federal até hoje -, foram os ministérios do Esporte, da Cultura e órgãos como a Fundação Palmares e o IPHAN ambos do Ministério da Cultura...

Ou seja, o problema vem de uma raíz distante que ninguém discute! Qual é a posição do Ministério da Educação em relação à capoeira...??

O que acontece na realidade das escolas é óbvio para todos nós: praticamente TODAS as escolas deste País (e mundo afora não é diferente) possui algum projeto de capoeira... Sendo que a maioria deles tem a capoeira como atvidade Extra-Classe ou seja, não faz parte da Educação!

Está fora das salas de aula!...

Não podemos mais nos confundir quanto isso, pela amor de Deus!

Ou entramos nas salas de aula, junto com a matemática, a geografia, o português, etc., e temos lá uma disciplina chamada Capoeira, ou vamos sim continuar ocupando os pátios, ginásios, salas em horários vazios, etc., com aulas e eventos de capoeira, sendo que essa segunda coisa não tem diferença nenhuma da capoeira que ensinamos em nossas academias, projetos, espaços, quadras, condomínios, associações diversas, clubes, seja lá qual for o tipo de espaço! Nós inclusive dizemos isso: ah, consegui um espaço para dar aulas na escola da minha cidade!

Gente, esse divisor de águas tem que se universalizar...! temos que discutir essas duas coisas como coisas diferentes... não tem jeito!!

Ninguém gostaria que seu filho tivesse aula de capoeira com alguns tipos de correntes filosóficas que existem hoje (e sempre existiram) na capoeira...! Algum mestre de capoeira não faria questão de saber quem é o professor de capoeira de seu filho na escola?? Será que eles (nós) damos a mesma abordagem quando se trata de matemática, biologia, ou qualquer outra matéria? Saber quem são os professores dessas matérias, de onde se formaram, qual foi a escola deles, etc... Claro que não damos!

A gente ia querer que nossos filhos tivessem aulas de capoeira na escola - na sala de aula, diga-se - por alguém que fosse devidamente habilitado, submetido a critérios morais, que fosse muito bem fundamentado em seus ensinamentos, que nunca tivesse se envolvido em brigas, conflites de grupos, que nunca tivesse assediado as mulheres dentro de suas aulas, etc...

Por que então a gente quando discute esse assunto, trata da escola apenas como um espaço a mais, tal qual uma academia, clube, associação, etc....? é a mesma coisa? claro que não!

A capoeira quando vier a fazer parte do portfólio de disciplinas das escolas de educação formal, terá sim que estar devidamente preparada para isso!!

Qualquer um de nós, mestres, professores, graduados em capoeira, sabe fazer essa exigência...

Por que não conseguimos ver esse divisor de água e nos posicionamos por ele? Porque a maioria das vezes que estamos discutindo esse assunto a gente esta fazendo isso como parte de um conjunto de interesses que temos! Simples.

Ah e qual será a maneira adequada então de debater ou de definir essa questão?

A gente tem que ser antes de mais nada honestos com nossa própria limitação e nossas expectativas pessoais... vamos assumir que temos sempre ao lado de nossas posições assumidas os interesses pessoais também...!

Se a gente fizer isso, vamos começar a distinguir que estou aqui debatendo porque quero subsídios, projetos, conhecimentos, apoios, politicas públicas, etc., para um certo tipo de projeto que eu estou pleiteando, trabalhando ou defendendo.

Mas quando se tratar da educação formal, por exemplo, aí talvez seja melhor a gente debater isso primeiramente junto ao Ministério da Educação... vamos abrir um espaço de aproximação com esse Minístério e vamos levar para esse fórum as pessoas que estejam preparadas para esse debate, diferentemente daquelas que apenas querem o espaço da escola para dar suas aulas de capoeira, seguindo seus fundamentos, sua escola tradicional, seu grupo, seu mestre, sua filosofia de capoeira, sua linhagem, etc... são assuntos diferentes...

Mas, não adianta negar, nós somos sempre partidários de coisas e soluções que nos interesse e muito raramente pensamos na capoeira como algo verdadeiramente maior do que nossos proprios limites e interesses...

Se a gente pensasse assim, de forma isenta e assumisse nossa postura de defensores da capoeira independemente de nossos proprios interesses, a gente não estaria desenvolvendo ao mesmo tempo infinitos projetos e espaços de debates isolados, quase sempre montados e articulados para atender o nosso grupo, seja qual for o sentido que grupo tenha aqui...

Assisti a n momentos em que nós capoeiristas nos reunimos para discutir soluções para a Capoeira e as decisões inevitavelmente atendem ao grupo que está debatendo... quem quiser que monte o seu debate... a gente diz. Ou pensa.

Minha conclusão é de que a capoeira para se tornar um assunto educacional para todas as escolas, todos os níveis, todas as idades, em todos os recantos desse país é que ela talvez possa ser sim beneficiada com a Lei 10.639, tal e qual qualquer outra cultura de origem afro-descendente desde que ela seja tratada como Conteúdo na educação formal, alimentando assim o saber de nosso povo em geral (e não os espaços ocupados por grupos), dando oportunidade a quem produz esses conhecimentos, aí sim todos os que vivem ou professam a capoeira e podem ensina-la no todo ou por partes, incrementando, obviamente as escolas de capoeira com novos alunos, pois a escola ensina música, mas quem vende discos são as lojas de disco, e quem os prepara são os cantores, produtores, arranjadores, gráficas, músicos, fabricantes de instrumentos, enfim, uma rede enorme de pessoas se beneficiam do fato de que a música seja ensinada nas escolas enquanto teoria...

Por que não podemos ter essa mesma visão para a capoeira?

A pessoa que der por exemplo, aula de geometria (já houve esse caso!) pode se utilizar da capoeira para ensinar com seus movimentos como se constrói um arco (berimbau) um círculo (a roda) um compasso (meia-lua de compasso) etc.. O responsável pela Geografia, poderia ensinar que a capoeira fez parte do movimento quilombola no Brasil e que se espalhou pelos quilombos, nas regiões A, B e C... com os mais fortes sendo os que se instalaram na região de Palmares, por exemplo... A capoeira teve um fluxo de expansão seguindo dos Estados da Bahia, Rio e Recife em direção a... é um tema geográfico... pode ser discutido como parte da Geografia...! e quem vai dar esses informes esses conhecimentos?

Acredito que quem está mais em condições de faze-lo sejam os mestres de capoeira, pesquisadores que se orientaram pela capoeira para produzir seus estudos e projetos de pesquisa...

Praticamente todas as disciplinas que são dadas nas escolas podem ser enriquecidas com a Capoeira como parte de seus conteúdos e isso alimentará o saber sobre a capoeira e as escolas de capoeira, pois haverá muito mais pessoas querendo buscar a prática da capoeira, essa sim, nós somos os detentores e não podemos abrir mão pra ninguém de nenhuma outra corrente de conhecimento, professores de educação, de cultura popular, de folclores, seja lá do que for, tem que se contentar em obter com os capoeiristas o saber que irão repassar... e nós continuarems a ser o representantes reais e legais dessa arte da qual nos orgulhamos tanto.

Outras disciplinas podem também ter conteúdos extraídos e aprendidos com os capoeiras, entre elas a Sociologia, a Antropologia, a Arte, a Música, a História, a Economia, a Filosofia, e até arquitetura já vi produções fantasticas incluindo capoeira, a cultura africana, enfim, uma infinidade de conhecimentos que temos podem ser uteis para a educação, e qualquer um de nós que esteja habilitado a ser um professor de dentro da sala de aula, vai ser com certeza um Mestre que vai dar muita lição na Educação...!!

Enquanto isso, vamos aumentar nossos conhecimentos, nossa produção, incentivar nossos discipulos a estudarem, a buscarem suas formações, vamos incentivar nossa juventude capoeirista a ler, a produzir com a mente, mais do que com as pernas e em breve nós seremos um batalhão de capoeiristas corpo-e-mente...! Invencíveis...! principalmente na guerra pela sobrevivência nesse mundo cruelmente dividido entre os que sabem e os quem tem o diploma, que não é e nunca foi justo... Mas quem disse que o mundo é ou já foi algum dia justo??








3 comentários:

  1. Salve Salve Grande Mestre Squisito!
    Debater a capoeira na (escola) ou na (educação) se faz necessário em carater de urgência... Mais como o sr. mesmo cita em sua excelente publicação, esse debate deve ultapassar as fronteiras dos grupos e se juntar a uma bandeira única, a da capoeira.
    No entanto, o que vemos é cada vez mais os grupos se fechando e criando um isolamento ou ainda vetando outros grupos menores pelo fato de pensarem diferente. Justamente quando é chegado a hora de nos unirmos!
    Ainda bem que temos grandes mestres como o sr. que sabe exercer seu verdadeiro papel de mestre e serve como farol seguro nos chamando para o debate util e realmente necessario.
    A hora é essa! O governo esta fazendo sua parte e agora é nossa vez de nos preparamos para ocupar os espaços que são nossos por direito.
    Viva a capoeira na EDUCAÇÂO!
    Axé Mestre!

    Educador Físico Anselmo Martins Araújo
    Professor Pesado
    Azibo capoeira - Palmas, TO.
    63 8425-6012.

    ResponderExcluir
  2. ola meu. amigo! eu tava veno o seu debate sobre acapoeira e goste muito . se todos nos fizer o que vc esta fazeno sera muito mas fasio de coloca acapoeira na sala de aula . porque vejo muito professores de sala de aula que passa . 4 anos nou faculdade . é nao sabe nem se que se pronusia direito nos da arte da capoeira trena muito mas do que 4 anos . pra se forma professor de capoeira . valeu. meu e-mail. tarcizioavc@hotmail.com

    ResponderExcluir
  3. Grande mestre. Que bons ventos lhe trouxeram ao meu convivio. Parabens pelo texto. No meu mestrado discuti a capoeira nas politicas publicas de Belem e a questao e a mesma. A logica do conhecimento formal tem a instituicao escolares como 'o lugar' do conhecimento. Acredito que o debate sobre a capoeira na area da cultura sempre teve melhor ressonancia. Ou seja, sermos mais presentes nos debates da area da cultura, como os foruns e conselhos de cultura municipais, estaduais e federais pdoeriam contemplar a capoeira de maneira mais ampla. Lutar pela criacao de Centros de Referencia da Capoeira onde se possa ensinar a capoeira em toda a sua diversidade.
    Abraco Fabio Araujo Fernandes (Instrutor Hiena - GCB)

    ResponderExcluir